Tradição
As lendas e tradições dos povos são, muitas vezes, usadas como formas de explicação de algo. Revelam vivências, crenças, atitudes que fantasiam o imaginário de quem as ouve. A lenda da freguesia é apresentada em quatro quadras, indicando como é que Nossa Senhora da Luz apareceu a Santo Adriano, em cima de uma Azinheira. Inicialmente apareceu transformada em mariposa, e depois em Senhora rodeada de anjinhos, no local onde é actualmente a Igreja de Nossa Senhora da Luz, antes designado de “Campos da Lousa”.

Festas em Honra do Sagrado Coração de Jesus
O Sagrado Coração de Jesus é uma imagem que representa Cristo de coração aberto e em chagas, como símbolo do seu sofrimento e martírio. Na Idade Média começou a ser considerado modelo do amor, paciente perante os pecados da humanidade. Como forma de pagar todo este sofrimento, os cristãos entregavam-lhe os seus corações, através de actos e palavras. No século XVII esta devoção estava muito expandida, e em 1670, São João Eudes introduziu a primeira festa pública do Sagrado Coração. Apesar dos milhares e milhares de crentes seguidores do Sagrado Coração de Jesus, existiu uma grande oposição a este culto, sobretudo no século XVIII. A Europa rejeitou o Coração de Jesus, e em seguida viveu horrores bélicos. Porém, em 1856, PioIX estendeu a festa a toda a Igreja, e em 1899 Leão XIII consagrou o mundo ao Sagrado Coração de Jesus. Só a 30 de Maio de 1919 é que Espanha se consagrou, publicamente, ao Sagrado Coração, no Monte dos Anjos. Esta festa celebra-se em Junho, durante um fim de semana, Sábado e Domingo, mas não tem data fixa. No Sábado à tarde, existe uma largada na praça de touros e, para finalizar a noite, realiza-se um baile. No Domingo, sai à rua a procissão em honra do Sagrado Coração de Jesus, que percorre as principais ruas da aldeia.

Festas em Honra de Nossa Senhora da Luz
Esta festa realiza-se há muitos anos, no primeiro Domingo de Setembro. Esta festa tem a duração de quatro dias, iniciando Sexta e finalizando Segunda-feira. No primeiro dia realiza-se uma largada nocturna, e por vezes outros pequenos espectáculos. No Sábado, de manhã, realiza-se uma procissão em honra de Nossa Senhora do Rosário e de Santo António; durante a tarde existe uma tourada, e à noite há espectáculos de variedades e bailes. No Domingo, durante a tarde, cumpre-se a tradicional procissão em honra de Nossa Senhora da Luz, padroeira da freguesia. À noite, novos espectáculos de variedades tomam conta da atenção das pessoas, bem como o baile. No último dia, Segunda-feira, para terminar as festividades há uma pequena largada, durante a tarde, e a realização de um baile, à noite.

Jogo da Acunca
Este jogo consiste em colocar duas enfusas (cântaros de barro), uma me cada ponta e tentar acertar com as acuncas (pedras redondas e lisas que se apanham no Guadiana), até que ela caiam.

Jogo do Funcho
O objectivo deste jogo consiste em espetar o funcho (pau afiado em ambas as pontas) num buraco feito no chão.

Jogo da Pata
No jogo da Pata, os jogadores, de olhos vendados, tentam partir um ovo que se encontra no chão.

Jogo da Navalha
Este jogo consiste em espetar uma navalha num buraco feito no chão, muito semelhante ao jogo do Fungo. No entanto, se o objectivo não se concretiza-se, enterrava-se a navalha no chão, e o jogador tinha que tirar com a boca.

Jogo do Quino
Para este jogo são necessários cartões, com cinco números distribuídos por três filas, e um saco com bolas numeradas. Distribuem-se quatro cartões pelos jogadores, ficando cada um com vinte números, e existe uma pessoa que vai retirando do saco as bolas. À medida que estas vão saindo, os jogadores colocam um feijão sobre o número rifado, e quando o cartão estiver completo “quinava-se”.

Jogo do Xito
Este jogo consiste em colocar, em cima de um banco, um vinte (pau redondo parecido com uma malha) e derrubá-lo, atirando-lhe pedras.